Facebook

contador gratuito de visitas

28 de junho de 2017

ESTRELAS MUDAM DE LUGAR - VII


Troca de casa efetuada, tudo
é novidade; crianças se
esbaldam com o novo, com
o reboliço da mudança...

Nova família acomodada
em seu espaço; bebê com
quatro meses - estamos em
maio, novas expectativas!

O poeta segue sua vida
(de poeta - de pai - de
esposo - de avô - de sogro),
com seu jeito de ser e viver!...

Não totalmente erguido: ainda
no chão, mas sempre com a
esperança de dias melhores,
na confiança em Deus!...

Uma pessoa desértica tem
estes altos e baixos, faz parte
de sua essência, de sua maneira
de encarar a vida!

Chora silente, sofre calado,
sangra na poesia, é mal
compreendido, julgado, censurado,
mas compreende - por quê?

Sabe-se humano e como tal
reconhece a condição humana de
cada um de nós - não julga e não
tem motivos para perdoar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário